Image by CDC

 INDICAÇÃO PARA TRATAMENTO ESPECIALIZADO PROTOCOLO
PEDIASUIT

 

Apesar de já contar com uma série de estudos de casos, comprovação de excelentes resultados, bem como apoio dos profissionais da saúde nos mais diversos segmentos, o protocolo de terapia intensiva Pediasuit continua restrito e, aos poucos, disponibilizado de maneira crescente nas clínicas especializadas particulares de fisioterapia. É notório que no sistema público de saúde, ainda é muito tímida sua utilização, contudo, pode ser encontrada em algumas APAES ou Faculdades Públicas.

 

 

Convênios ou Entes Públicos promovem este tratamento?

 

É comum aos advogados encontrarem pessoas que enfrentam esse problema, seja eles os pais ou responsáveis pelo paciente, que, como se não bastasse toda a batalha que terão que travar com os mais variados diagnósticos e seus reflexos, ainda enfrentarão a dura realidade do sistema público e privado de saúde no qual certamente não promoverão os tratamentos especializados de pronto.


Complicado, para não dizer revoltante, receber a negativa desses tratamentos em um momento de vital importância, inclusive, com a indicação médica de urgência. Fato que ocorre mesmo após termos contribuído por longos anos com impostos e taxas para o sistema público. Sem contar, quando precisamos pagar mensalidades de planos particulares que, em muitos casos, mal foram utilizados.


Tanto na saúde pública quanto na privada, os argumentos de negativas são praticamente os mesmos, ou seja, ainda que tenhamos a possibilidade de arcar com os custos de um plano médico, por supostamente proporcionar uma garantia de atendimento amplo e ágil, continuamos desprovidos de qualquer amparo, quando passamos a necessitar de terapias especializadas.


Alguns clientes chegam a argumentar junto aos planos e às secretarias de saúde de seu município, que o tratamento pelo protocolo Pediasuit já conta com registro na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e, mesmo assim, o pedido é negado. (ANVISA 81265770001- PEDIASUIT -  30/12/2015). A justificativa é de que o tratamento especializado Pediasuit ainda não está previsto expressamente no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde.


O impedimento para a realização integral e adequada desse protocolo, amplamente indicado por médicos, fisioterapeutas e outros profissionais da saúde, pode gerar sérios riscos e danos irreparáveis na habilitação ou reabilitação do indivíduo para aquisição de independência e autonomia, além de comprometer sua qualidade de vida e inclusão social.


Não é necessário ser nenhum expert no assunto para concluir a superioridade e eficácia do método Pediasuit, se tivermos a oportunidade de acompanhar o desempenho dos pacientes e propostas realizadas pelos profissionais terapeutas no desenrolar das sessões. O tempo, a dinâmica no manuseio e associação dos aparelhos ou equipamentos durante as sessões, acompanhado da vestimenta na gaiola de atividades, proporcionam movimentos com alinhamento corporal e descarga de peso impossíveis de serem alcançados no simples manuseio realizado por um único profissional na terapia convencional.


Diante da preocupante situação, com indicação médica para início imediato por conta da urgência e as negativas já emitidas pelo plano ou pelo sistema público de saúde, a única saída que ainda resta e, que, recomendamos aos clientes é recorrer ao pronunciamento da justiça para fazer valer o seu direito ao mais amplo acesso à saúde, em especial, o de ter efetivamente aplicado o tratamento especializado prescrito pelo seu médico.


Vale chamar a atenção nesse ponto da suma importância da prescrição medida para o sucesso da ação judicial, pois, é através dela, que se comprova a urgência e necessidade desse tipo de tratamento.


Uma dica importante que passamos para os clientes e que, certamente, ajudará no êxito de sua empreitada judicial, é a realização de uma avaliação clínica no paciente que se beneficiará do tratamento. Essa avaliação ser emitida por escrito pelo profissional fisioterapeuta e é um documento relevante de apoio à prescrição realizada pelo médico.


Os exames realizados para fechamento do diagnóstico também são peças fundamentais para formação do acervo que irá compor o seu pedido judicial. O conjunto desses documentos pesará no momento em que o juiz for analisar o seu pedido de liminar para concessão do tratamento.


Como se pode notar, a boa condução das fases que antecedem o pedido judicial vai fazer a diferença quando da análise da solicitação de liminar e consequente sucesso final da demanda. Por isso, insistimos muito junto aos clientes nas orientações e detalhes que devem acompanhar o recurso administrativo, que será protocolado junto aos setores responsáveis das operadoras de plano de saúde e repartições públicas.


Assim, mesmo diante de tantos contratempos e negativas em proporcionar o tratamento adequado, vale o esforço e persistência em não se deixar vencer por esses entraves e bater às portas do judiciário para fazer valer o seu precioso e justo motivo em proporcionar o tratamento adequado e regularmente prescrito para o seu filho ou familiar. Aliás, a vida, a saúde, a dignidade são direitos constitucionalmente assegurados a todo cidadão e devem ser respeitados nas esferas do direito público ou privado, pois “o respeito à vida humana é a um tempo uma das maiores ideias de nossa civilização e o primeiro princípio da moral médica”. (José Afonso da Silva, em sua obra Curso de Direito Constitucional Positivo, citando Jacques Robert - 14ªEd., Malheiros Editores, 1997, p.195).


Vale aqui, a título de informação e para melhor orientar os pacientes, pais ou responsáveis, independentemente do diagnóstico, mas que tiveram a indicação de tratamento especializado protocolo Pediansuit, informar breve conceito científico desse grande avanço na área de habilitação e reabilitação de pacientes acometidos por males que de alguma forma causaram a redução de sua capacidade de mobilidade, motora, cognitiva e outros reflexos que necessitam de cuidados específicos e bem direcionados:


 “O PediaSuit é um protocolo de tratamento intensivo usado pelos fisioterapeutas e pelos terapeutas ocupacionais que tem como objetivo principal a recuperação cinética funcional em decorrência dos distúrbios que afetam o movimento, a dinâmica circulatória e a integridade músculo-esquelética, principalmente.


O programa consiste no uso de uma indumentária apropriada caracterizada como uma órtese dinâmica que é composta por uma touca, colete, short, joelheira, tênis e um sistema de elásticos ajustáveis às necessidades de cada paciente, configurados para facilitar movimentos funcionais e inibir padrões inadequados de movimento.


Esta órtese cumpre a função de um esqueleto externo (exoesqueleto), reproduzindo a ação da musculatura agonista e antagonista, facilitando os vários procedimentos usados pelos profissionais que assistem o paciente.


Os procedimentos consistem em um trabalho inicial de aquecimento e alongamento, vestimento do pediasuit e adaptação ao Spider Cagei  (gaiola), onde é feita uma fixação de cordas elásticas em diagonais junto ao paciente. O Pulley system (sistema de roldanas) é usado neste composto para garantir a suspensão da região corporal exercitada durante o exercício e relaxamento.


O procedimento é feito de forma intensiva durante o período de mês, com aproximadamente 4 horas diárias, cinco dias na semana, levando-se em conta as condições individuais de cada paciente.


O tratamento tem indicação para pacientes com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, paralisia cerebral, distúrbios de integração sensorial, autismo, mielomeningocele, síndrome de Down, acidente vascular encefálico, traumatismo crânio encefálico e demais patologias e desordens motoras.


Os benefícios terapêuticos proporcionados são: aumento da densidade mineral óssea, força muscular, propriocepção, equilíbrio, coordenação motora, consciência corporal, modulação de tônus postural anormal, alinhamento corporal e reequilíbrio biomecânico com o intuito de proporcionar melhor qualidade de vida, maior variedade de movimentos seletivos e o desenvolvimento das atividades funcionais.


Há trabalhos de pesquisa do Pediasuit em andamento em Keiser University, Florida – USA e na Universidade de Nairobi-Kenya.(...).

https://drive.google.com/file/d/0B2kfMqgiqwdceV9PM2RTR0NJeHc/view


Curiosamente, esse método especializado, foi inspirado em vestes anatômicas que, embora já existissem no mercado, foram aperfeiçoadas por um terapeuta ocupacional brasileiro, Dr. Leonardo Oliveira, nascido em Brasília e que vive nos Estados Unidos:


“Conheça a história do protocolo PediaSuit.


Inspirado nas vestes anatômicas já existentes no mercado, como Penguin Suit, desenvolvido na década de 1970, na Rússia, o terapeuta ocupacional Dr. Leonardo Oliveira desenvolveu o protocolo PediaSuit. Trata-se de um recurso para tratamento intensivo, que mescla exercícios com o uso de um macacão terapêutico ortopédico para promover um ajuste biomecânico no paciente com sequelas neurossensoriomotoras.


Nascido em Brasília, em 1967, Dr. Leonardo Oliveira vive nos Estados Unidos desde 1984. Sua formação em Terapia Ocupacional foi na Keiser University, em Fort Lauderdale, no Estado americano da Flórida, instituição onde atualmente cursa o mestrado em um Neuropediatria. Também fez cursos de Taping, Flexcorp e Yoga para Autismo.


A história pessoal deste brasileiro motivou a pesquisa e desenvolvimento do Pedia-Suit. Pai de um menino com paralisia cerebral, Dr. Leonardo Oliveira lembra que “os recursos que existiam para ele eram precários”. Ele conta que, a partir daí, começou a trabalhar em “algo melhor”. O protótipo surgiu em meados de 2005.


“Quando descobri que meu filho tinha paralisia cerebral, comecei a pesquisar pelo mundo afora todas as possibilidades para ele. Vi que os ‘suits’ da Rússia tinham propriedades interessantes, mas que ainda eram – e são – muito arcaicos”, relata.


Antes de cursar Terapia Ocupacional, Dr. Leonardo alçou outros voos, literalmente. Ele possui formação na área de aviação e foi piloto comercial. “Essa base de aerodinâmica na anatomia veio daí”, comenta.


Os estudos que culminaram com o PediaSuit foram realizados em sua Clínica Therapies 4 Kids, onde contou com o auxílio de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Posteriormente, o profissional teve possibilidade de usar o Laboratório de Terapia Ocupacional da Keiser University.


O PediaSuit está se espalhando pelo mundo. De acordo com Dr. Leonardo de Oliveira, “no Brasil, Colômbia, Bolívia, Quênia, Angola, Egito, Kuwait, Malásia e Singapura, é bem conhecido”. A Therapies 4 Kids já possui clínica própria na Europa, com sede em Portugal, e em breve terá uma unidade na Alemanha.


A conclusão do estudo desenvolvido pelo desenvolvedor do PediaSuit, em parceria com um grupo de fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, chamado “Description of the Pedia-Suit Protocol”, no âmbito da Keiser University, é que o “protocolo antecipa resultados obtidos somente com longos períodos de fisioterapia tradicional”. A equipe de autores permaneceu dois meses observando os cuidados prestados em uma clínica com fisioterapeutas treinados pela equipe do PediaSuit Protocol (EUA). O PediaSuit é fabricado nos EUA, onde também são realizados os cursos para profissionais do mundo todo que querem se habilitar para o uso do protocolo.


Quando questionado sobre suas parcerias na criação do protocolo, Dr. Leonardo Oliveira enfatiza que “na verdade, todos os quase mil profissionais já formados no PediaSuit são parceiros”. Normalmente, os profissionais submetem suas demandas e o criador do protocolo busca compreender e implementar. “A fisioterapeuta Dra. Anna Xavier me pediu um PediaSuit intermediário entre o tamanho G e o adulto, e assim eu fiz o XG. A terapeuta ocupacional Dra. Sandra Volpi me pediu mais anatomia na região do pescoço, e foi implementado”, explica. O terapeuta ocupacional destaca que continua “melhorando o PediaSuit todos os dias” http://www.crefito2.gov.br/noticias/noticias/conheca-a-historia-do-protocolo-pediasuit-1662.html


Segue para ilustrar fotos dos equipamentos, gaiola e roupa especial utilizada nas sessões de terapia intensiva protocolo Pediasuit:

 

 

 

 


 


 

 

 

A jornada é intensa e exigente, lutas que vão muito além do fornecimento de medicamentos e tratamentos de alto custo, já que as famílias e responsáveis, bem como, o próprio cidadão acometido, ainda sofre com a discriminação no ambiente social e profissional.


O fundamental é nunca desistir do que é assegurado a todo cidadão por lei e recorrer ao judiciário para garantir uma melhor qualidade de vida à pessoa que tem indicação para esse tipo tratamento especializado, independentemente da realidade e grau de comprometimento. Não podemos admitir que o acesso às mais modernas técnicas disponibilizadas no mercado e no mundo até o momento fique restrito ou limitado a beneficiar somente uma fração da população. Assim, lute por todos os seus Direitos.

whatsapp-logo-1.png